Buscar

Saudade. Quem nunca sentiu saudade?



Saudade. Uma das minhas palavras preferidas. Pela sua ambiguidade. Por ser tudo e nada, como a vida. Pela sua ternura, amor, tristeza e sofrimento. Por ser tudo isto… ao mesmo tempo.

A Saudade mora em muitos sítios. Nas pessoas, nas cores, nos locais, nos cheiros, nos sabores, nas estrelas e nas memórias. Aparece em todas as idades, às vezes sem avisar. E dói. E corrói. E emociona.

Saudade é difícil de explicar. Principalmente aos mais pequeninos que não compreendem como é que podem sentir tantas emoções ao mesmo tempo. Afinal o que é isto que nos magoa, mas nos enche de amor e por vezes até nos faz rir até de madrugada, ao recordarmos o que já passou. O que é isto que nos tira o chão e nos faz desejar sonhar… para vivermos nela para sempre.

Saudade é pensar o passado, mesmo não ficando preso nele. Mas só por breves momentos, vivemos de novo. Saudade é relembrar o que foi, mesmo com olhos postos no futuro. Outras vezes, é amor que fica… sem toque. Mas fica, com a saudade, para sempre.

Saudade. Saudade. Todos sentimos saudade, que num abraço invisível nos consola, ao mesmo tempo que nos desampara e deixa sem chão. E nos agarra, sendo difícil sair dele, que é frio e quente, simultaneamente.

Quem nunca sentiu saudade de um tempo que passou, que não volta a passar, mas que nos molda à pessoa que somos hoje e nos sustenta para um futuro que podemos construir. Que nos relembra das nossas origens e que nos preenche de memórias - felizes, tristes e assim-assim-, como a vida.

E aquela que mora nas memórias de uma idade, de um tempo. Uma saudade que nos estremece. Acorda. Deprime às vezes, ao mesmo tempo que nos preenche de locais, pessoas e momentos felizes, que ficam dentro de nós e que através da saudade, os podemos reviver, sem ficar presos neles. Porque a vida mora no futuro.

E quem não viveu um desamor, que mora dentro do nosso coração. Mesmo que em silêncio, existe na saudade por vezes, de um tempo bonito vivido. De memórias a dois. De intimidade e de olhares que um dia foram só um. Apesar de já não o ser.

E a saudade de quem parte e leva um pedaço de nós, mas deixa outro. Esta em especial dói. Dói muito. Mas também nos aquece, provando que o amor sim, é para sempre.

Saudade é amor que foi, e que por vezes ainda é. Saudade é o pensar em todos os pedaços que nos constroem. Saudade é feita de todos nós, do que nos rodeia e do outro.

Saudade. Saudade. Quem nunca sentiu saudade.

Design sem nome (32).png

CONTACTOS

Assuntos Gerais

 filipa.malo.franco@gmail.com

Parcerias e Trabalhos Digitais

joana.cavaco@hitmanagement.pt

  • SoundCloud - Black Circle
  • Facebook - Black Circle
  • Instagram

© FILIPA MALO FRANCO 2020